Página do facebook:


Programa de Educação e Defesa Ambiental Ângela de Cara Limpa.

 

O Ângela de Cara Limpa é uma plataforma, visa implantação e fortalecimento da gestão dos empreendimentos populares solidários no Jd. Ângela. Para incentivar e fortalecer ações de sustentabilidade na região, evitando que moradores atravessem a cidade em busca do seu sustento.

Programa de  Educação e Defesa Ambiental Ângela de Cara Limpa foi criado no Jd. Ângela, na zona sul de São Paulo, em 1998, como resultado de oficinas com temas como cidadania, conservação dos recursos naturais, organização social, legislação ambiental e elaboração de projetos, do Programa de “Capacitação Técnica e Educação Ambiental de Lideranças de Organizações da Sociedade Civil”, do Governo do Estado, no escopo do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Guarapiranga.

Cada um dos empreendimentos atua inspirado em um modelo cooperativista, no qual os trabalhadores têm autonomia e dividem os lucros de maneira igualitária. Existe um anseio por parte do Ângela de Cara Limpa para que cada coletivo gere renda, dando autonomia ao empreendimento e empodere os trabalhadores.

O caráter sustentável deste serviço da Sociedade Santos Mártires em parceria com Instituto Auá é evidente, dado que os negócios sociais que estão na Plataforma têm uma preocupação com a defesa ambiental, com o equilíbrio econômico, com o acréscimo de renda da comunidade e com a valorização do trabalhador.

 

Empreendimentos:

-       Reciclângela

-       Papel de Mulher

-       Agricultura Urbana

-       JRP - Tijolo, Solo Cimento

-       Projeto Colmeia

 

Reciclângela:

            O primeiro empreendimento do Ângela de Cara Limpa foi o Reciclângela, que é um Negócio Social de coleta seletiva de resíduos. Os trabalhadores são moradores da região e provenientes do CAPS- AD (Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e outras Drogas), tendo esse trabalho grande importância terapêutica para a reabilitação deles.

            Todo material que entra é de doação, realiza a coleta seletiva e a triagem de resíduos sólidos, prensa dos resíduos sólidos e venda para a indústria, seguindo preceitos de comércio justo, para os outros Negócios Sociais do Ângela de Cara Limpa, além de outros compradores do mercado.

Visa a inclusão social e a geração de renda de pessoas em situação de risco, moradores do Jd. Ângela.

 

 

Papel de Mulher:

Em outubro de 2007, nasce a oficina de papel reciclado artesanal, com a intenção de transformar e agregar valor ao papel branco coletado pelo Reciclângela. A oficina agregou mulheres simples, fortes, mas enfraquecidas pelas adversidades da vida, e que viram ali uma oportunidade de acolhida e crescimento. Em 2008 o grupo foi convidado a se transformar num empreendimento social. Nesse mesmo ano denominou-se Papel de Mulher. Criou sua linha de produtos, participou de feiras e eventos, ministra oficinas desde 2013 e em 2014, com mais de 7 anos de convivência, as mulheres perceberam que, mais do que reciclar papel, reciclavam também suas vidas e era isso que desejavam partilhar com as pessoas.

Por isso, hoje o Papel de Mulher é um negócio social que, por meio da reciclagem artesanal do papel, motiva a educação ambiental. Levanta questionamentos sobre a maneira de a sociedade consumista ver, pensar e se relacionar consigo, com o outro, com as coisas e com o meio ambiente, e propõe alternativas sustentáveis de relacionamentos. Na oficina Eu e meus papéis - como me relaciono e descarto coisas... e pessoas, além da ludicidade, propicia a troca de experiências, e a reciclagem da própria vida.

 

Agroecologia - Agricultura Urbana:

            Incrustada no Jardim Ângela, respira uma plantação de 7 mil m2. Crescem desde alfaces e cebolas até bananas e chuchus, todos orgânicos. Grande parte da água utilizada é advinda de uma cisterna de 22 mil litros, financiada pelo Instituto Auá, e que garante a máxima economia de água. O adubo é proveniente do processo de compostagem dos resíduo orgânico selecionado pelos empreendimentos do Ângela de Cara Limpa.

            A venda das frutas, verduras e legumes produzidos é realizada em forma de cestas, que têm preço semelhante ao dos grandes atacadistas, mas é muito mais saudável, por serem produtos orgânicos.

 

Tijolo, Solo e Cimento:

A JRP é um empreendimento que produz tijolos ecológicos, constituída por três sócios, José Carlos, Rivelino Márcio, Paulino Martiliano, que tem o Apoio do Programa de Educação e Defesa Ambiental Ângela de Cara Limpa, um Serviço da  Sociedade Santo Mártires.


Produzimos tijolos de solo e cimento reaproveitando terra de (terra planagem) que seria descartada  nós aterros, essa produção não agride o meio ambiente, porque: não a queima de árvores  e seca a sombra assim que sai da prensa.


Vantagens: é um tijolo com excelente acabamento que não precisa de reboco, tem dois furos que permite a passagem da rede elétrica, hidráulica e ferragens e conforme pesquisa comprovadamente gera uma economia de até 40% no final da obra.

 

 

Colmeia:

            O Colmeia nasceu nas salas de aula da USP. Desenhado por alunos da região, que hoje são designers, os objetos são confeccionados a partir de diferentes modos de dobrar. É um objeto multifuncional para crianças de 4 a 6 anos de idade, que permite brincar, se sentar, usar como mesa e baú.

A facilidade para se manusear, a comprovada resistência e seu apelo lúdico já são bons motivos para se comprar o Colmeia para as crianças. Ao levar em conta o baixo preço e a preocupação sócio-ambiental que estão por trás da sua produção, não resta dúvidas de que o produto é único. Foi premiado nos maiores concursos de design do nosso país e participou da Bienal Brasileira de Design.

 


Copyright © Sociedade Santos Mártires 2017 Desenvolvido por WebConta